Últimos assuntos
» Sol Tenebris [Campanha]
Qua Maio 11, 2016 10:17 pm por Salatiel Roffcale

» Sol Tenebris [Inscrições]
Dom Maio 01, 2016 10:28 pm por Finn o Humano

» Moira - A Feiticeira d'Água
Dom Maio 01, 2016 9:24 pm por Finn o Humano

» Templo de Hikari
Ter Abr 26, 2016 5:17 pm por Luzette Shadowsprint

» Floresta de gelo
Ter Abr 26, 2016 5:01 pm por Gil

» Mayhem
Dom Abr 24, 2016 8:02 pm por Finn o Humano

» Vilarejo GreenLeaf
Dom Abr 24, 2016 11:45 am por Salatiel Roffcale

» Cavernas de Valsfar
Dom Abr 24, 2016 1:31 am por Finn o Humano

» Desespero Congelado
Dom Abr 24, 2016 12:12 am por Sauron S


Aracnofobia

Ir em baixo

Aracnofobia

Mensagem por O Criador em Ter Mar 04, 2014 3:21 am



AracnofobiA



A Taverna da espada torta, era assim que a chamavam. Em algum lugar da cidade de Sward a taverna era conhecida por ser uma das mais famosas, consequentemente muito frequentada e uma das mais bem cuidadas. Mas havia algo em especial naquela noite, a Taverna da espada torta era frequentada por todos os tipos de pessoas todos os dias mas as especiais, se juntavam hoje, por uma feliz coicidencia. O primeiro, era um mago no canto da taverna com capacidades de controlar elementos básicos, seu nome era Horaza Alexius.

Ele estava afastado das outras mesas e pessoas se concentrando em um livro de magias em quanto deliciava-se nas comidas que a taverna oferecia.  O segundo "destinado" se encontrava sentado em volta da lareira, era Yrick Valaraukar Krios, um jovem que aparentava ter dezesseis anos, de cabelos loiros com roupas estranhas, mas que para seu gosto eram bonitas.

As pessoas iam e viam como formigas, e entre o mar de pessoas sentada na mesa das bebidas estava a inocente meio-humana Myra Crowley. Perto desta mesma garota em uma mesa lotada sentado em uma das cadeiras Arcanjo Angelus um caído, ele se mantia quieto e não parecia apreciar a companhia dos outros presentes na mesa: Alilynn Darksbane e um Orc grande e feio.

A tal criatura cinzenta e grande não parecia ser uma ameaça, muito pelo contrário o orc devorava uma galinha inteira em seu prato, mas isso não era o mais importante, ele trajava uma armadura de ferro pesada com detalhes de espinho, e um grande manto velho e rasgado sobre ela. Por fim, a última pessoa presente era uma garota, mas ela não podia ser vista pois não era uma garota viva, Juno. A jovem fantasma se divertia em quanto fazia jus a seu titulo de sussurrante e incitava brigas entre os homens dali. Tudo estava correndo normalmente até que o orc se levantou quase derrubando a mesa em Arcanjo e Alilynn. Com sua voz tão potente quanto um trovão ele gritou

-SILÊNCIO!

E os outros homens apenas se calaram e sentaram-se, olhando para o homem estranho e ameaçador. O orc subiu na cadeira e começou um discurso

-EU SOU THRAGAR RAGGAR! um orc das distantes e temidas terras de Araknor, eu viajei durante dias e talvez até mesmo meses para chegar até aqui, onde estou agora. Sou um sobrevivente de um desastre que caiu sobre meu vilarejo, criaturas da noite o atacaram e o levaram a desgraça, então eu vim a procura de ajuda, a procura de pessoas que lutem ao meu lado para salvar meus semelhantes. É obvio que eu não pediria ajuda aos orcs sem ao menos alguma recompensa, eu garanto que aqueles que me ajudarem terão grandes riquezas e poder, além de títulos dignos.

Uma onda de risadas pode ser ouvida, zombações e outros xingamentos puderam ser escutados aqui e ali, mas os mais sábios sabiam que não podiam simplesmente deixar isso batido. Após a humilhação o orc saiu da taverna furioso. Deveriam seguir ele e perguntar sobre?


OFF: Então é isso. Está aberta a campanha e os posts estão liberados sem ordem de postagem, já que foi aberta agora. Henz, tenha calma assim que voltar eu arranjo um jeito de te inserir na campanha, sua vaga está garantida. Imagem do orc : LINK
. Então, espero que se esforcem para realmente sair um post bom, pois assim poderão ganhar bonus de exp, e eu irei narrar no nível de vocês. Boa sorte a todos e espero que gostem de mim como narrador.
avatar
O Criador
Admin
Admin

Mensagens : 103
Data de inscrição : 15/08/2013

Ficha de Personagem
HP HP:
99999/99999  (99999/99999)
SP SP:
99999/99999  (99999/99999)
Experiencia :
99999/99999  (99999/99999)

Ver perfil do usuário http://imortalrpg.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Ter Mar 04, 2014 4:28 am

Apreciava as chamas na lareira era algo digno as chamas em si era algo que me chamavam bastante atenção era algo que representava proteção e ao mesmo tempo destruição eu estava hipnotizado em quanto olhava para as chamas era como se em cada chama houvesse vida própria e toda chama buscam o mesmo subir,crescer talvez as próprias chamas desejem alcançar o resplendor do céu , mas a uma voz estridente como um trovão me fazia voltar a tona uma voz forte e ao mesmo tempo monstruosa era a voz de um orc que gritava.

-SILÊNCIO!-Algo aconteceu todos da taverna se silenciaram para ouvir as palavras do orc que então continuava a falar- EU SOU THRAGAR RAGGAR! um orc das distantes e temidas terras de Araknor, eu viajei durante dias e talvez até mesmo meses para chegar até aqui, onde estou agora. Sou um sobrevivente de um desastre que caiu sobre meu vilarejo, criaturas da noite o atacaram e o levaram a desgraça, então eu vim a procura de ajuda, a procura de pessoas que lutem ao meu lado para salvar meus semelhantes. É obvio que eu não pediria ajuda a orcs sem ao menos alguma recompensa, eu garanto que aqueles que me ajudarem terão grandes riquezas e poder, além de títulos dignos.

Muitos zombaram da criatura mas as palavras da criatura parecia que havia conseguindo alcançar os corações e mentes de alguns dos poucos na taverna e alguns desses poucos que foram tocados pelas palavras foram eu ,Observava enquanto alguns da taverna zombavam daquela criatura enquanto ele saia começava a pegar minha mochila com todos os meus pertences e o resto do dinheiro que sombrava em minha mochila enquanto respirava fundo e um pouco meio nervoso minhas mãos suavam enquanto eu as passava por minhas calças enquanto as enxugava o suor de entre os dedos e colocava as alças da mochila por cima de meus braços enquanto apertava as alças da mochila e então passava minha direita sobre meus cabelos os dividindo em duas camas, enquanto seguia o orc por entre as portas da tarberna enquanto respirava fundo e as palavras saiam por entre os meus lábios.

-Então meu jovem rapaz quando podemos começar essa aventura,mas irei precisa de uma armaduras decentes e uma espada,fora as recompensas da aventura,e se estiver armando alguma coisa fique ciente de que irá ficar tremendamente arrependido

Fala com um sorriso frio e ao mesmo tempo irônico e debochado em seus lábios,demostrando que é realmente um pessoa de gênio difícil de se lidar que agora estava quase se tornando parte da companhia de expedição do orc conhecido como Raggar.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Ter Mar 04, 2014 7:04 am


A Taverna

da espada torta

Observando aquela quantidade de gente que saia e entrava na Taverna da espada torta, me encontrava sentado em uma mesa lotada. “ – Falei para aquele incompetente que queria uma mesa vazia.”  Ficava quieto só observando não estava apreciando nem um pouco minhas companhias, quando o Orc que estava sentado na mesa se levanta quase derrubando a mesa em cima de mim, do um salto para trás e logo seguro o cabo de minhas espadas e observo o Orc que gritava:
-SILÊNCIO!
-EU SOU THRAGAR RAGGAR! um orc das distantes e temidas terras de Araknor, eu viajei durante dias e talvez até mesmo meses para chegar até aqui, onde estou agora. Sou um sobrevivente de um desastre que caiu sobre meu vilarejo, criaturas da noite o atacaram e o levaram a desgraça, então eu vim a procura de ajuda, a procura de pessoas que lutem ao meu lado para salvar meus semelhantes. É obvio que eu não pediria ajuda aos orcs sem ao menos alguma recompensa, eu garanto que aqueles que me ajudarem terão grandes riquezas e poder, além de títulos dignos.

Observava o orc que terminava de falar, via que não estava ali para causar confusão e sim pedir ajuda, relaxo e escuto uma onde de risadas e xingamentos que acaba deixando  o orc furioso que sai de dentro da taverna.
Hum, criaturas da noite é, isso me parece interessante.
Saio da taverna e vó em direção do orc não me interessava pelas recompensas, só queria enfrentar as criaturas da noite seria uma ótima oportunidade de treino para recuperar meus poderes.
Chego até o Orc e vejo que ele estava na companhia de um Humano, me aproximo do orc puxo uma de minhas espada, aponto para seu pescoço e falo:
- Eu sou Arcanjo Angelus, e estou aqui para te ajudar mais lembre-se se isso for uma armadilha ou você tentar me trair não pensarei duas vezes em separar sua cabeça do seu corpo.
- E você jovem Humano quem seria?  





Inventario

2x

.







leveck @ cg



Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Juno em Ter Mar 04, 2014 8:47 am

Mergulhando em um profundo poço de tédio Juno resolve entrar na taverna da Espada Torta para “brincar” um pouco, ela flutua passando por entre as pessoas a procura da melhor vitima, não demora muito para encontrar um grupo de cinco anões bêbados, a fantasma dá um sorriso de orelha a orelha, vai até o anão mais exaltado e sussurra em sua orelha.

- Cheque seus bolsos, alguém roubou seu ouro enquanto você dançava em cima da mesa.

A garota vê a expressão de duvida e desconfiança no rosto do anão e já se da por satisfeita, sabia que logo iria começar uma grande briga, então começa novamente a procurar outra vitima. A próxima vitima é avistada, um grande orc cinzento que estava devorando um frango como se ele fosse pão, pensou em ir influenciar um dos seus colegas de mesa a puxar briga com o orc, mas antes que pudesse fazer algo o orc se levanta e grita:

-SILÊNCIO!

Ao ouvir o grito do grande e imponente orc, Juno se assusta e chega a recuar um pouco, pensou por uns momentos que o orc havia percebido sua presença mesmo ela estando completamente invisível. A garota quase desfez sua invisibilidade e vai perguntar ao orc como ele havia a enxergado, mas não demorou muito tempo para que o mesmo continuasse o que tinha a dizer:

-EU SOU THRAGAR RAGGAR! um orc das distantes e temidas terras de Araknor, eu viajei durante dias e talvez até mesmo meses para chegar até aqui, onde estou agora. Sou um sobrevivente de um desastre que caiu sobre meu vilarejo, criaturas da noite o atacaram e o levaram a desgraça, então eu vim a procura de ajuda, a procura de pessoas que lutem ao meu lado para salvar meus semelhantes. É obvio que eu não pediria ajuda aos orcs sem ao menos alguma recompensa, eu garanto que aqueles que me ajudarem terão grandes riquezas e poder, além de títulos dignos.

Juno ria como como se tivesse ouvido a melhor das piadas, achou totalmente ridículo um orc das “distantes e temidas terras de Araknor” ter se arrastado até Sward para pedir ajuda, Ela vai de pessoa em pessoa da mesa do orc e sussurra em seus ouvidos coisas do tipo:

- Sério? Um orc de araknor pedindo ajuda pra um bando de bêbados? Só pode ser piada.- E – Até parece que nós vamos gastar nosso precioso tempo pra ajudar um orc fedido.

Fazendo assim gerar uma imensa onde da risadas e xingamentos. Juno se deleitava com aquela cena, só faltou perder o ar que já não tinha por ser um fantasma de tanto rir quando viu o orc se retirando da taverna bufando como um boi raivoso.

Satisfeita, resolveu que já era hora de se retirar da taverna e procurar algo melhor para fazer, mas não teve tempo nem para isso, viu que algumas das pessoas que estavam na taverna haviam seguido Thragar, não era de se esperar menos vindo da fantasma conhecida por atormentar aventureiros, a garota foi "correndo" se apresentar ao grupo que estava para se formar, Juno Desfez a sua invisibilidade, se pois no meio dos três homens *Thragar, Krios e Arcanjo* e disse:

- Vejo que temos um grupo de aventureiros por aqui! Gostaria de acompanha-los em sua jornada, vi oque aconteceu lá na taverna e achei tudo muito feio... os seres desse mundo conseguem ser muito cruéis não concordam? – Disse Juno com a expressão mais inocente que conseguia fazer. – Eu posso ser uma fantasma mais posso ajudar vocês com reconhecimento de campo e dando suporte com meus amiguinhos.

Não pretendia se apresentar por hora, talvez algum deles a conhecesse por seus feitos e brincadeiras e caso isso acontecesse poderia arruinar todo seu plano.


Pensamentos Falas Sussurros
avatar
Juno
Fantasma
Fantasma

Mensagens : 6
Data de inscrição : 15/10/2013

Ficha de Personagem
HP HP:
120/120  (120/120)
SP SP:
280/280  (280/280)
Experiencia :
0/1000  (0/1000)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Qua Mar 05, 2014 4:25 pm

Desapontado, a palavra que descrevia perfeitamente o que Horaza sentia por estar no meio de um caos. Na cidade de Sward, o jovem mago se encontrava lendo sobre magias em um livro enquanto também se deliciava com as comidas da Taverna Espada Torta. Por causa da quantidade perturbadora de pessoas naquele local, a vontade de sair o mais rápido possível dali aumentava a cada instante para Horaza, mas a comida o forçava ficar.

Ficar no canto da taverna fora uma boa ideia, pois ninguém o perturbava, assim facilitando a leitura de seu livro. Como se alguém testasse sua paciência, Horaza escuta um orc gritar. Todos na taverna se silenciam para escutar o que aquela criatura tinha a dizer.
-EU SOU THRAGAR RAGGAR! um orc das distantes e temidas terras de Araknor, eu viajei durante dias e talvez até mesmo meses para chegar até aqui, onde estou agora. Sou um sobrevivente de um desastre que caiu sobre meu vilarejo, criaturas da noite o atacaram e o levaram a desgraça, então eu vim a procura de ajuda, a procura de pessoas que lutem ao meu lado para salvar meus semelhantes. É obvio que eu não pediria ajuda aos orcs sem ao menos alguma recompensa, eu garanto que aqueles que me ajudarem terão grandes riquezas e poder, além de títulos dignos.

Risadas e piadas eram escutadas no mesmo instante que o orc terminara de falar, até o jovem mago não aguentara, precisou rir da situação.
“Um orc pedindo ajuda! Qual será a próxima piada?”
Furioso por causa da humilhação, o orc se retira da taverna. O mago então se levanta guardando seu livro em um bolso nas suas vestes, com sua mão direita pega o seu cajado, rapidamente sai daquele local irritante.

Chegando ao lado de fora da taverna, Horaza se surpreende com a quantidade de pessoas que conversavam com o orc.  Acreditava que ninguém se interessaria em ajudar aquela criatura, mas talvez as recompensas tenham atraído curiosos.
- Francamente, nunca imaginaria que isso aconteceria – resmunga ao se aproximar do grupo de pessoas onde se encontrava Thraggar – Gostaria de saber se é necessário mais uma pessoa para ajudá-lo – o mago ajeita seu grande chapéu para possibilitar olhar a criatura com que se comunicava. Um grande sorriso estampava a face de Horaza enquanto esperava uma resposta.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Qua Mar 05, 2014 5:28 pm

Fazia pouco tempo que havia chegado na Taverna, era um lugar rustico, e com moveis batidos, estava cheio de pessoas, a maioria eram homens que pareciam caçadores e guerreiros, isso me deixava intrigada, afinal também cheguei a viver nas florestas por um tempo, quando estava vindo para Sward. Não sabia onde ir, havia uma mesa com bebidas e um balcão onde havia mais pessoas, parecia estar muito cheio para mim, então segui para a mesa de bebidas, pensei em pegar alguma coisa leve para beber, como agua ou alguma coisa sem álcool, mas alguns homens me cercaram e começaram a me oferecer copos cheios de variadas bebidas, peguei um copo do homem que parecia mais simpático, quando fui experimentar, algo me chamou a atenção. Um grande orc havia se levantado e derrubado uma mesa no chão, mantive meus olhos nele, não estava assustada, e sim curiosa.

-SILÊNCIO! – gritou ele com uma voz estrondosa, fazendo com que todos da Taverna se calassem e o desse atenção - EU SOU THRAGAR RAGGAR! um orc das distantes e temidas terras de Araknor, eu viajei durante dias e talvez até mesmo meses para chegar até aqui, onde estou agora. Sou um sobrevivente de um desastre que caiu sobre meu vilarejo, criaturas da noite o atacaram e o levaram a desgraça, então eu vim a procura de ajuda, a procura de pessoas que lutem ao meu lado para salvar meus semelhantes. É obvio que eu não pediria ajuda aos orcs sem ao menos alguma recompensa, eu garanto que aqueles que me ajudarem terão grandes riquezas e poder, além de títulos dignos.

Por alguma razão todos começaram a rir e a fazer piadas e desviaram a atenção do orc, eu me senti mal por ele, afinal estava apenas em busca de ajuda. Humilhado o orc se retira da Taverna bufando, eu fiquei interessada e decidi segui-lo, sai meio despercebida pelos homens já alterados e fui em direção a saída.
Quando finalmente cheguei no exterior da Taverna, pude avista-lo, e algo que realmente me surpreendeu foi a quantidade de pessoas que estavam a sua volta querendo saber mais sobre como ajudar. Me aproximei andando calmamente, olhei para todos as pessoas ali presentes, uma me chamou a atenção...por ser uma fantasma, fiquei agitada e sem mais delongas decidi me pronunciar.

_Estou disposta a lhe ajudar, senhor orc. Contanto que não seja nenhuma armadilha para abater jovens tolos...ajudarei com tudo ao meu alcance. Meu nome é Myra Crowley, uma semi-humana com podem ver, ao seu dispor.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por O Criador em Qua Mar 05, 2014 9:43 pm

O orc se surpreendeu, seis pessoas apareceram uma atrás da outra para oferecer ajuda a Thragar. O primeiro, era um jovem de cabelos loiros que apareceu exigindo por armaduras e armas, ele tinha uma personalidade irritante e chata mas Thragar não podia dizer não a quem havia o oferecido uma mão. Então apenas moveu a cabeça em afirmação. O segundo, apareceu de forma mais hostil e violenta, sacando uma de suas espadas e a apontando para o orc cinzento, este em resposta também puxou um machado de sua cintura e apontou para o homem a sua frente,afinal, ele era um orc e não teria seu orgulho ferido assim. Mas abaixou se acalmando quando ouviu sua apresentação.

A terceira pessoa, foi a mais peculiar. Desfez a invisibilidade que possuía se pronunciando como uma fantasma. Ter um fantasma no seu grupo seria uma vantagem imensa, então o orc sorriu, ajoelhou e a respondeu - Toda ajuda é bem vinda, até mesmo daqueles que não pertencem a nosso mundo. Após se levantar mais um membro apareceu, o quarto era um jovem garoto que trajava vestes as quais o denunciavam como um mago.

Gostaria de saber se é necessário mais uma pessoa para ajudá-lo

Com uma forte voz o orc disse - Nem todas as pessoas dessa cidade poderiam derrotar tais criaturas -. A quinta pessoa que ocuparia um lugar na companhia liderada pelo orc cinzento era uma jovem garota que se apresentou como semi-humana, ele estranhou pois pessoas dessa raça eram raras, até mesmo em Sward. -Agradeço a ajuda - Por fim, a última pessoa que apareceu era uma garota de cabelos roxos, sua voz tinha um bafo de cerveja e estava visivelmente alterada, Thragar se lembrava muito bem dessa pessoa, ela havia o coberto de insultos e zombarias quando na taverna, mas agora não podia recusar a ajuda de ninguém então mesmo não gostando aceitou.

Fez um gesto para que todos o seguissem, eles chegaram a uma praça local com uma grande távola redonda, então puxou do bolso um papel velho e amarelado. O estendeu, era um mapa, mais especificamente um Mapa da ilha. Então começou a apontar com o dedo. -Será uma viajem longa e perigosa. Estamos em Sward, seguiremos para a mata dos lobos, lá iremos demorar alguns dias para atravessar, então iremos entrar no pântano. De lá poderemos ir para Salmeria onde ficaremos em alguma estalagem do vilarejo Zoer. Após esse breve descanso atravessaremos a passagem estreita com calma, afinal, existem muitos perigos nela e nos limitaremos a viajar em certos horários.

Por fim, iremos da mata assombrada ao vilarejo orc. deu uma breve pausa, depois perguntou - Alguma pergunta? ... E eu tenho que os advertir antes de iniciarmos a aventura, eu não garanto a vida de vocês
. o Orc parecia meio estranho em relação a moça de cabelo roxo, pois ela estava alterada e não podia confiar nela como um membro da companhia.



Henz



Ele acordou. Seus olhos estavam turvos e sentia seu corpo cansado e pesado, havia tido uma péssima noite mas o que havia acontecido nela? ele não lembrava. Apenas alguns flashes em sua memória mas nada de mais, se levantou e quando olhou em volta estava na floresta, por quê havia dormido logo na mata de lobos? sua cabeça doía um pouco mas se recompôs em alguns minutos. Tinha suas roupas repletas de folhas e seus cabelos mais bagunçados que o normal. Caminhou confuso até que ouviu um urro e sentiu um cheiro horrível, mas ele sentiu um alívio quando achou a sua preciosa espada negra no chão, intacta. Seguido desse barulho um grito feminino, a voz parecia assustada.  




OFF: Bom, esse é só o "começo" da campanha. Não tem ordem de postagem novamente, até que eu a coloque. Eu darei EXP a cada "parte/ato" que vocês completarem. Boa sorte a todos e Henz, vai demorar um pouco mas vou colocar você junto do grupo logo, por em quanto você está solo. O prazo é até o dia 7 a 00:00


Última edição por Mestre em Qui Mar 06, 2014 1:57 pm, editado 1 vez(es)
avatar
O Criador
Admin
Admin

Mensagens : 103
Data de inscrição : 15/08/2013

Ficha de Personagem
HP HP:
99999/99999  (99999/99999)
SP SP:
99999/99999  (99999/99999)
Experiencia :
99999/99999  (99999/99999)

Ver perfil do usuário http://imortalrpg.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Qui Mar 06, 2014 2:37 am

"Interessante  ao todo a companhia foi composta por 7 Campeões contando com o orc,mas algo  estranho me fazia sentir como se ainda faltasse mas um integrante aquele número impar não me trazia segurança!! "

Observava calmamente a todos eles então  respirava fundo,enquanto colocava minhas duas mãos   atrás do meu pescoço e estufava o meu peito  e  meus músculo estralavam  enquanto  estava sentado em uma cadeira escutado o thraggar falar.

- -Será uma viajem longa e perigosa. Estamos em Sward, seguiremos para a mata dos lobos, lá iremos demorar alguns dias para atravessar, então iremos entrar no pântano. De lá poderemos ir para Salmeria onde ficaremos em alguma estalagem do vilarejo Zoer. Após esse breve descanso atravessaremos a passagem estreita com calma, afinal, existem muitos perigos nela e nos limitaremos a viajar em certos horários.

Por fim, iremos da mata assombrada ao vilarejo orc. deu uma breve pausa, depois perguntou - Alguma pergunta? ... E eu tenho que os advertir antes de iniciarmos a aventura, eu não garanto a vida de vocês.


Falava  o orc como se dependêssemos dele ,então coloquei minhas mãos sobre a mesa e abaixei minha cabeça enquanto pensava em cada palavra que eu iria falar  construindo cada palavra com cautela para não insultar e nem menosprezar nenhum daqueles  que estavam ali presentes então,levantei minha face lentamente,e palavras começaram a sair lentamente da minha boca em um tom sútil e agradável que trazia calma para os ouvidos  alheios e ao mesmo tempo trazia confiança,mas que só de leve mostrava o quão difícil séria para obter a confiança  daquele jovem (Yric)  que balbuciava aquelas palavras.

-Não me levem a mal mas odiaria ter que confiar minha vida  a pessoas que acabamos de conhecer  e acho que devíamos criar  um lanço de confiança ainda maior  por que cada um não fala os seus verdadeiros  nomes,habilidades e  a  Profissão que  irão exercer na companhia  então iremos começar por  min tudo bem ?-Falava  Yric enquanto  coloca sua perna direita por cima de sua perna esquerda  cruzando suas pernas - Então meu nome é Yric Valarukar Krios  sou um humano comum apesar disso sou um  mercenário  especialista  em todos os tipos de armas de corte de curta,média e longa distancia meu pai era um ferreiro e com ele eu aprendi o oficio, por favor sejam sinceros em suas declarações acho que a sinceridade é o ponto principal para criarmos um laço  de confiança por enquanto .

Yric  apesar de exigir sinceridade de todos   ele não havia falo toda a verdade sobre si mesmo e suas habilidades,ele preferia não usar suas habilidades  possuía uma grande incerteza a respeito do seu poder não sábia  se era uma benção ou uma maldição,preferia manter aquilo um mistério por enquanto,fazia com que dedos da mão direita deslizassem pelo para um lado e para o outro,inconscientemente liberava um sorriso  e voltava a falar.

-Entrar a uma hora dessas na floresta  adentro séria suicídio  acho melhor esperamos amanhecer, Os lobisomens são os senhores da lua enquanto os vampiros senhores da noite isso é uma coisa que todos sabemos,porem  durante o dia temos uma leve vantagem contra  eles  Vampiros são sensíveis a luz do dia enquanto os lobisomens  ficam mas racionais deixando seus lados primitivos um pouco de lado ,pois a noite é a hora da caçada e tudo  que estiver na floresta a noite se torna alimento-Parava um pouco para respirar -Então se não se importarem só irei seguir viajem pela manhã caso contrario podem ir na frente pela manhã irei seguir viagem,mas não terminamos ainda  essa reunião, o peregrino deveria  falar mas sobre sua terra natal e  suas origens e suas habilidades e oque devemos esperar de nossos futuros inimigos.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Qui Mar 06, 2014 6:18 am




Após a chegada de mais alguns integrantes o orc nos ordena que o seguisse, até que chegamos a uma praça com uma távola redonda onde ele tira um mapa velho do bolso e começa a falar os caminhos que vamos seguir, escuto as palavras do orc um pouco afastado estava encostado em um muro a uns 2m do grupo, não gostava de me misturar.

- Garanti minha vida, não me faça rir.
Um dos humanos que estava no grupo se pronuncia se apresentando e nos ordenando que façamos o mesmo, eu continuo calado no meu canto observando o grupo de braços cruzados, não gostava de falar de meu passado e não achava que era confiável falar que eu era um caído, iria continuar sem me pronunciar até que o humano fala algo que também me convinha.
- O loirinho esta certo, entrar na floresta a noite não é uma boa ideia, assim como ele eu só irei seguir quando amanhecer. E meu nome é Arcanjo Angelus e também só um simples humano filho de um fazendeiro e tenho grandes habilidades com a espada.

Falava enquanto me aproximava do grupo, tentando esconder minha verdadeira identidade e que meus poderes enfraquecem a noite.




~Fala~~Pensamentos~~Habilidades~~Narração~

.







leveck @ cg



Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Qui Mar 06, 2014 3:54 pm

Data/hora atual: Sab Mar 08, 2014 4:37 pm


Última edição por Starkadr Henz em Sab Mar 08, 2014 10:38 am, editado 1 vez(es)

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Sex Mar 07, 2014 5:59 pm

Após todos falarem algo, o orc pareceu surpreso por ter tantas pessoas mesmo depois da grande humilhação que sofrera lá dentro. Depois de dizer algumas informações e boas-vindas, o Orc gesticula para o seguir e assim todos fazem, ele para no meio da praça e abre um grande mapa sob uma távola redonda, por fim explicou todo o trajeto que tomaríamos até chegar ao Vilarejo Orc, seria uma viagem longa, eu provavelmente não ligaria, afinal podia voar e não me cansaria tão fácil, o problema seria confiar a minha vida aos outros membros do grupo, acampar e ter certeza de que teria alguém protegendo o acampamento durante a noite, preocupações assim iriam impedir-me de ter um sono tranquilo, coisa que não venho tendo a muito tempo. Enfim, alguns se apresentaram, não pareciam ser pessoas simpáticas, mas como eu não as conhecia, achei errado julga-las apenas pelo breve resumo sobre si.

Como eu já havia me apresentado um pouco antes resolvi apenas me manter quieta e ver aonde aquilo iria dar, um dos humanos apontou algo de extrema importância, acho que sabia mais que todos de que a floresta a noite não era lugar para humanos e ate mesmo não humanos.

-Devo concordar com eles, você não iria querer enfrentar alguma criatura da noite no meio da floresta, mesmo com 7 pessoas no grupo, não tenho confiança o suficiente para confiar minha vida a alguém que acabei de conhecer, além de ser o lugar mais propenso para armadilhas e emboscadas...

Eu confesso que senti um pouco de vergonha de deixar claro que não estava confiante em deixar minha vida na mão de outras pessoas, mas foi algo que tive que deixar claro, tentei me esconder um pouco atrás de minhas asas, mas não acho que tenha sido de grande ajuda, respirei fundo e tentei agir o mais normal possível, me calei e fiquei prestando atenção no resto do grupo e no grande orc.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Juno em Sex Mar 07, 2014 6:43 pm

Juno estava completamente satisfeita com o decorrer das coisas, o orc não parecia suspeitar nem um pouco de sua boa vontade e para melhorar tudo, Thragar parecia ser um daqueles orcs que veneravam os espíritos, chegou até mesmo a fazer reverencia a ela.

Pelo visto vai ser fácil brincar com esse cara... Porém será triste quebrar sua crença.

Pouco tempo depois do orc se levantar um jovem mago que se candidatou a entrar no grupo com um sorriso um tanto quanto forçado, parecia que as coisas iam começar a se dificultar para a fantasma, magos não são seres facilmente enganados... Mas mesmo assim não desistiria da diversão que estava por vir. Logo após o mago se aproximou uma rara semi-humana, um belo espécime de semi-humano pássaro, um corvou ou talvez um gralha, Juno ficou maravilhada com a garota, de alguma maneira aquelas asas despertavam algo na memoria da menina fantasma.

O orc agradeceu aqueles que se juntaram ao grupo e os guiou até a mesa de uma praça e começou a explicar o trajeto da “missão”, Juno não conhecia as localidades por onde passariam, afinal não passará muito tempo viajando por ai, por isso só conhecia os arredores do templo de Levi, o caminho do templo até Sward e o centro de Sward, mas mesmo assim a garota ficou feliz em saber que passariam por um lugar chamado de “Mata dos Lobos”, certamente esse seria um local infestado por lobos ou lobisomens e os mesmos são criaturas fáceis de atrair e influenciar. Por fim o orc disse ao grupo:

- Alguma pergunta? ... E eu tenho que os advertir antes de iniciarmos a aventura, eu não garanto a vida de vocês.

Ao ouvir tal coisa Juno começa a gargalhar e entre risadas diz:

- Que feio Sr. Empregador , não acha que poderia ofender alguém com isso?

Pouco tempo depois algumas pessoas do grupo começaram a dar suas opiniões, o primeiro foi um loirinho de roupas estranhas que se apresentou como Yric, um mercenário e filho de ferreiro, o garoto veio com a ideia de todos se apresentarem e dizerem oque sabiam fazer, mas ele mesmo deu uma introdução bem vaga de sua pessoa, além de dizer isso também disse que deveríamos sair somente ao raiar do sol, já que: a mata dos lobos seria um lugar muito perigoso a noite. Essas palavras não agradaram nada a Juno, lobos são animais de hábitos noturnos, seria difícil atrair alguns até o grupo de dia. Pouco tempo depois que Yric se pronunciou uma pessoa que Juno nem havia percebi do que estava junto do grupo também falou algo, Era Arcanjo Angelus, um imortal que se pronunciou como humano... Ao ouvir as palavras:

só um simples humano filho de um fazendeiro

A fantasma pois um sorriso de orelha a orelha e resolveu ser a próxima a se apresentar:

- Bem, já que temos um certo mentiroso no grupo eu também não tenho obrigação de dizer a verdade... Me chamo Luzette Du Coteau e sou uma simples humana lutadora de kung-fu. – Juno olha para Arcanjo e continua. – Sem mais brincadeiras, me chamo Juno, a Sussurrante, sou uma fantasma invocadora que costumava servir o culto das irmãs da agua.

Pouco tempo depois a menina corvo se pronunciou concordando com a decisão dos outros dois de somente sair a noite, Juno não poderia deixar isso acontecer tão fácil então resolveu opinar sobre, ela se pois atrás dos ombros da Meia-humana e disse:

- Descordo em esperarmos até amanhecer, gente! Vocês tem que pensar nos pobres ogros que sofrem na vila enquanto estamos aqui no bem-bom... Eu entendo oque é perder a vida, já que eu mesmo não possuo uma. – Juno se abaixa até os ouvidos de Myra e diz em um tom um pouco mais baixo, mas não tão baixo que a ponto de impedir que os outros do grupo ouvissem. – Está tudo bem menina-pássaro, eu juro que irei protegê-la.

A fantasma não sabia por que havia dito isso mas sentia como se tivesse o dever de garantir a segurança daquela pessoa.

Pensamentos Falas Sussurros
avatar
Juno
Fantasma
Fantasma

Mensagens : 6
Data de inscrição : 15/10/2013

Ficha de Personagem
HP HP:
120/120  (120/120)
SP SP:
280/280  (280/280)
Experiencia :
0/1000  (0/1000)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Sex Mar 07, 2014 9:01 pm

A criatura cinza que pedira ajuda na taverna da espada torta deveria estar feliz, pois mesmo sendo humilhado por muitos, conseguiu uma quantidade maior do que Horaza acreditava ser possível. Um homem loiro aparentemente normal, um outro homem estranho que empunhava uma espada, uma jovem garota intrigante, e por final uma semi-humana, uma forma de vida muito rara que Horaza nunca tivera a chance de conhecer pessoalmente. Se essas pessoas são confiáveis ou não, o mago decidira deixar para descobrir com o tempo.

Com um gesto, Thraggar pede para que seguíssemos ele. Paramos em uma praça local onde havia uma grande távola redonda. O orc tira de seu bolso um papel estranho que ao ser aberto o jovem mago nota que é um mapa. Apontando para um ponto no mapa, o orc começa a explicar a nossa posição, o nosso percurso, quando e onde descansaríamos, e com o que termos cuidado.

Como se a criatura tivesse um pouco de preocupação com as pessoas que se ofereceram para ajudá-lo, ele avisa que não garante nossas vidas.
Pelo o que parecia, o jovem mago não era o único que precisava de pelo menos um pouco de confiança naquelas pessoas para sair em uma aventura perigosa como aquela. O jovem loiro sugere que nos apresentemos, logo ele começa. Parecia esconder algo, mas ninguém parecera se importar. Ele também ressalta que o melhor era esperarmos o fim da noite, para que partíssemos apenas quando a luz do Sol fosse visível. O outro homem concorda com ele dizendo que partiria apenas ao amanhecer.

- Devo concordar com eles, você não iria querer enfrentar alguma criatura da noite no meio da floresta, mesmo com 7 pessoas no grupo, não tenho confiança o suficiente para confiar minha vida a alguém que acabei de conhecer, além de ser o lugar mais propenso para armadilhas e emboscadas... – a semi-humana se pronuncia concordando com os outros que falaram.

Depois da semi-humana, a jovem garota, em um tom sarcástico, se apresenta como Luzette Du Coteau, uma simples humana lutadora de kung-fu enquanto olha para Arcanjo, que se apresentara como um simples humano filho de um fazendeiro.

“Esses dois não são confiáveis...”

Então a jovem garota se apresenta novamente, dizendo que se chama Juno e que é um fantasma. Assim deixando o mago surpreso, entretanto, ele imaginava que a garota não era normal.
- Interessante. – afirma o jovem mago ao descobrir o que era aquela garota.
Depois de três concordarem que era melhor viajarmos durante a manhã, a fantasma discorda, dizendo que deveríamos pensar nos que estão sofrendo na vila.
- Não adianta seguirmos até a Mata dos Lobos durante a noite para ajudar o Vilarejo dos Orcs se morremos no caminho – diz o mago observando a fantasma por alguns instantes. Então observa os outros ali presentes – Como devem ter percebido, sou um mago. Meu nome é Horaza Alexius. Se desejarem realmente partir durante a noite, eu voltarei à taverna. Mas se forem apenas durante o dia, eu ficarei feliz em acompanhá-los – Horaza sorri.

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por O Criador em Sex Mar 07, 2014 10:27 pm

O orc não queria esperar, mas também não podia perder membros ali. Ouviu as apresentações de cada um e então começou a falar.

- Oque precisam saber de mim já sabem, não sou habil com magias, mas para compensar sou extremante habilidoso com espadas e machados, minha terra natal é o vilarejo orc no qual vivia até os ataque... Os vilarejos se encontram nas montanhas. -

Raggar deu uma pausa, respirou e depois continuo a falar.  

-Certo, então iremos esperar o amanhecer em uma estalagem... mas não irá empedir de enfretarmos a noite em Mata de Lobos, já que passaremos no minimo dois dias lá. Vamos, vou leva-los para a estalagem onde estou abrigado nesse momento.

O orc cinzento se levantou recolhendo o mapa e passou a caminhar, esperando que os outros o seguissem, ele atravessou algumas vielas e chegou a uma estalagem perto da saída da cidade. Ele pegou algumas moedas e colocou sobre o balcão da antendente, após pagar para todos ele subiu uma escada e entrou por uma porta  com várias camas, então jogou as coisas no chão e começou a verificar os equipamentos, comida e o que mais fosse precisar.

-Os senhores tem alguma duvida? caso não tenham podem ir dormir. Partiremos o quanto antes.


Henz

Seus passos faziam barulhos em quanto quebravam folhas no chão, o cansaço de Starkadr ia se esvaindo de pouco em pouco, e sua curiosidade apenas aumentava a cada momento que se passava, uivos foram escutados mas ele não deu ouvidos, o jovem guerreiro se posicionou atrás de duas árvores e observou o que acontecia ali perto. A primeira reação, foi um susto. Demorou para identificar pois a criatura era feia de mais, mas chegou a conclusão.

Um ogro, o tom da pele do monstro era cinza azulado, trajava uma pequena cota de malha com calças simples e marrons, segurava uma espada bruta que parecia não cortar mais nada e a balançava contra uma moça caída no chão, que tinha uma adaga em mãos e apenas isso. Outro uivo foi ouvido por Starkadr.

Imagem do ogro.:




Provavelmente no próximo post vocês estarão na floresta, e Henz, boa sorte com o que for fazer. Desculpem pelo post pequeno e estranho, não sabia o que postar, prometo que melhoro. O prazo de postagem é até dia 9 a meia noite.


Última edição por Mestre em Sab Mar 08, 2014 5:02 pm, editado 1 vez(es)
avatar
O Criador
Admin
Admin

Mensagens : 103
Data de inscrição : 15/08/2013

Ficha de Personagem
HP HP:
99999/99999  (99999/99999)
SP SP:
99999/99999  (99999/99999)
Experiencia :
99999/99999  (99999/99999)

Ver perfil do usuário http://imortalrpg.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Sab Mar 08, 2014 4:35 pm

O orc parecia ansioso mas precisava de nossa ajuda então aceitou com nossa contra proposta e nos levou para sua estalagem para descansar,após uma longa noite de sono fizemos um delicioso café na estalagem e então nos preparamos para começar nossa viagem em direção a floresta dos lobos ,me preparava pra seguir viagem.

off:desculpe pelo meu pior post sei que enfraqueci de mais nesse post mas foi que estava sem inspiração e ninguém postou para eu poder mesclar ao meu post então me desculpe ,mas prometo melhorar

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Convidado em Seg Mar 10, 2014 8:46 pm




 Após uma pequena conversa, concordamos em seguir viagem ao amanhecer, mesmo o Orc que queria seguir caminho o quanto antes, aceita viajar de manhã pois não podia perde integrantes do grupo, seguimos até uma estalagem onde passaríamos a noite, Raggar paga para todos um quarto com varias camas, fala que se não tivermos mais perguntas que podíamos dormir, pois sairíamos ao amanhecer.


Eu não estava muito confortado em dormi no meio daquela multidão, então me retiro do quarto e resolvo repousar no teto da estalagem, sobre as estrelas, não precisava de muitas horas de sono pelo fato de ser um imortal, algumas poucas horas e eu já estaria descansado, enquanto observava as estrelas viajava em meus pensamentos.

“- Tenho que tomar cuidado com aquela tal de Juno, esqueci que fantasma podem reconhecer um imortal.”





~Fala~~Pensamentos~~Habilidades~~Narração~

.







leveck @ cg



Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Aracnofobia

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum